terça-feira, 26 de novembro de 2013

Resenha: Um dia - David Nicholls

Um romance moderno que alerta para o fato de que VOCÊ PODE PASSAR A VIDA INTEIRA SEM PERCEBER QUE AQUILO QUE PROCURA, ESTÁ BEM NA SUA FRENTE. Assim é Um dia.

Título: Um dia - Autor: David Nicholls - Editora: Intrínseca - Páginas: 416 - Ano: 2011

Dexter Mayhew e Emma Morley se conheceram em 1988. Ambos sabem que no dia seguinte, após a formatura na universidade, deverão trilhar caminhos diferentes. Mas, depois de apenas um dia juntos, não conseguem parar de pensar um no outro. Os anos se passam e Dex e Em levam vidas isoladas - vidas muito diferentes daquelas que eles sonhavam ter. Porém, incapazes de esquecer o sentimento muito especial que os arrebatou naquela primeira noite, surge uma extraordinária relação entre os dois. Ao longo dos vinte anos seguintes, flashes do relacionamento deles são narrados, ano por ano, todos no mesmo dia: 15 de julho. Dexter e Emma enfrentam disputas e brigas, esperanças e oportunidades perdidas, risos e lágrimas. E, conforme o verdadeiro significado desse dia crucial é desvendado, eles precisam acertar contas com a essência do amor e da própria vida.  

Um dia conta a história de Dexter e Emma, recém-formados na faculdade que se conhecem no dia da formatura e acabam passando o dia posterior a ela (15 de julho) juntos. Depois disso, somos levados a acompanhar a vida de ambos, no decorrer de 20 anos, sempre no mesmo dia do primeiro encontro dos dois. No livro, cada capítulo é um momento de um novo ano na vida dos mesmos, o que torna a leitura imprevisível. É tudo o que posso escrever sobre Um dia.
“Eles falavam muito pouco do que sentiam um pelo outro: não havia necessidade de frases bonitas e pequenas atenções entre amigos tão experientes."
Thomas Hardy, Far From the Madding Crowd
Em seu primeiro livro publicado no Brasil, David Nicholls demonstra escrever muito bem sobre a vida. Ao narrar a brilhante história dos encontros e desencontros que envolvem o nosso casal de protagonistas, entre clichês, verdades e mentiras, constrói uma trama que poderia acontecer com qualquer um de nós.
“Viver cada dia como se fosse o último” – esse era o conselho convencional, mas na verdade quem tinha energia para isso? E se chovesse ou você estivesse de mau humor? Simplesmente não era prático. Era bem melhor tentar ser boa, corajosa, audaciosa e se esforçar para fazer a diferença. Não exatamente mudar o mundo, mas um pouquinho ao redor. Seguir em frente, com paixão e uma máquina de escrever elétrica e trabalhar duro em… alguma coisa. Mudar a vida das pessoas através da arte, talvez. Alegrar os amigos, permanecer fiel aos próprios princípios, viver com paixão, bem e plenamente. Experimentar coisas novas. Amar e ser amada, se houver oportunidade.”
Os protagonistas, certo.
Emma Morley é... Emma Morley. Confesso que não me atreveria a descrever Em com características que eu descreveria qualquer outro personagem. Em foi -e é- muito mais do que isso.  Impossível não se encantar pela sua ironia ferina ou sua apatia a tudo o que envolvesse Dexter. Meu Deus, como ela amou Dex.
“Você é linda, sua velha rabugenta, e se eu pudesse te dar só um presente para o resto de sua vida seria este. Confiança. Seria o presente da Confiança. Ou isso ou uma vela perfumada.”
Já Dexter Mayhew é... Bem... Confesso que não entendia o motivo de Em amar Dex (Mas também, querer entender isso, né?!) e isso ficava cada vez mais complexo conforme o passar dos anos e a vida dele tomar o rumo que toma. Mas Dex cresce de uma forma tão linda no livro que, eu não tenho palavras...
“Embora não fosse sentimental, havia ocasiões em que Dexter podia ficar quieto vendo Emma Morley rir ou contar uma história e saber com absoluta certeza que ela era a melhor pessoa que conhecia. Às vezes quase tinha vontade de dizer isso em voz alta, interrompê-la para fazer essa afirmação. Mas não era um desses momentos, e, em vez disso notou que ela parecia cansada, triste e pálida (…).”
Enfim...
Lembro que durante a minha leitura, muitas vezes, me coloquei no lugar dos personagens, que estão sempre tomando decisões, e até me perguntei como eu estarei daqui a 10 anos, 20, sei lá... Também me peguei reavaliando determinadas decisões e atitudes que qualquer jovem na minha idade acaba fazendo no seu dia-a-dia e sim, mudei bastante a minha visão de mundo ao concluir a leitura do livro.
Um dia também acabou se tornando meu livro favorito e, Em e Dex, Dex e Em, podem ter certeza, estarão sempre comigo: na mente e no coração. 

12 comentários:

  1. Oi gente,
    Adorei a resenha (:
    Tenho uma vontade imensa de ler esse livro e com a resenha de vocês, eu fiquei bem mais interessado!

    Abraço
    Adriano || http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/ (passa lá :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Geração \õ/
      Só temos uma coisa a dizer: leia, leia e leia.
      Abração

      Excluir
  2. Oi! Adorei o blog. Seguindo, claro!
    Beijos,
    Isabelle
    http://www.verbosdiversos.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Podemos te chamar de Isa, certo?!
      Já estamos seguindo o seu cantinho também e, psiu, volte sempre.
      Beijos

      Excluir
  3. Olá, ótima resenha.
    Eu tenho uma relação de amor e ódio com esse livro, eu amo assim como odeio.
    Amo o Dex e a Em e odeio o autor por ter escrito um fim tão trágico.

    http://rotinadafelicidade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claudia ;D
      Nem me fale sobre o final... Como assim, né?! AHAHA
      Mas ainda assim amamos o David.

      Excluir
  4. Olha sinceramente tenho que dizer que a resenha ficou maravilhosa, até porque eu nunca li esse livro, mas uns tempos atrás era doida para comprar ele. Mas o tempo foi passando e passando e acabei nem pegando ele mais.
    Vou ver se procuro comprar ele depois, porque quero sentir essa sensaçào ao terminar a leitura. É muito bom quando um livro nos faz refletir sobre a vida e tudo mais.
    Parabens viu? Ficou otima sua resenha =]

    Olha linda, já estou seguindo o seu cantinho, poderia me seguir?
    Outra coisa, curte minha fanpage tbm =]

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Silvana ♥
      Muitíssimo obrigado pelas suas palavras. Um dia é simplesmente genial. E seguiremos sim ;)
      Beijos

      Excluir
  5. Eu sempre quis ler tal livro e lerei um dia.
    Como vc disse, as vezes levamos anos atrás de algo que estava bem ali, na nossa frente, o tempo todo!
    Adorei a resenha ;)
    Super Abraço, Victor Rosa
    encantosparalelos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Victor!
      Esse é apenas um dos bons conselhos que se pode tirar da leitura de Um dia.
      Abração

      Excluir
  6. Ahh sou louca por esse livrinho..hehe
    Parece ser maravilhoso e está na minha lista faz tempo.
    Mas agora que estou reparando que ele tem mais de 400 páginas..melhor ainda..rs
    Já disseram mesmo que nos identificamos com a história. Preciso ler logo.
    Ótima resenha.

    beijos
    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Letícia :)
      Um Dia é simplesmente incrível. E com essa quantidade de páginas então, hein?! Pois é... Aposto que você vai amar a história. Se não, vai odiar. David Nicholls é assim: amor ou/e ódio.
      Beijos

      Excluir

Books Deluxe © Templante desenvolvido por Érica Maria sendo proibido cópia parcial ou total sob pena da lei. Encomende aqui!.